Ações Sociais - Reforço Escolar



"Aprender Brincando"

O projeto de Reforço Escolar "Aprender Brincando" teve seu início em agosto de 2004, tendo como um de seus objetivos possibilitar às crianças das séries iniciais do ensino fundamental oriundas da rede pública de ensino e que possuem dificuldades de aprendizagem, um atendimento de ótima qualidade, visando sanar as dificuldades por elas apresentadas.

O diferencial deste projeto é o atendimento individualizado dispensado a cada aluno, buscando sempre trabalhar de maneira agradável, pois acreditamos que o aprender pode e deve estar atrelado ao prazer, a alegria. Em nossa metodologia utilizamos muito o jogo e a brincadeira, pois sabemos que estes quando inseridos na escola tem como pressuposto servir ao desenvolvimento da criança, enquanto indivíduo, e à construção do conhecimento, processos estes intimamente interligados.

Além disto, o projeto oferece várias oficinas: Informática e inglês, buscando alcançar uma educação integral ao aluno participante. As aulas são realizadas aos sábados das 13:00 às 17:00 horas nas dependências da Fundação Educacional Dr. Raul Bauab e são ministradas pelas alunas dos cursos de Pedagogia, Normal Superior e Letras que atuam como monitoras voluntárias orientadas pela coordenadora pedagógica das monitoras Prof.ª Eunice Ribeiro dos Santos Cecato, que realiza reuniões semanais com as mesmas. Desde o início do projeto em 2004 até a presente data foram atendidos aproximadamente 350 alunos.

Este projeto é mais um dos trabalhos comunitários desenvolvido pelas Faculdades Integradas de Jaú, sob a supervisão da diretora Profª. Drª. Marcela Carinhato A. P. Castro Valeste e coordenação geral da Prof. Drª. Elenira Aparecida Cassola - Instituto Superior de Educação das Faculdades Integradas de Jaú.

Oficina: Contando Histórias...

Dentro do Projeto de Reforço Escolar "Aprender Brincando", reservamos um momento para contar histórias. Sabemos que, se é importante para o bebê ouvir a voz amada e para a criança pequenina escutar uma narrativa curta, simples, repetitiva, cheia de humor e de calidez, para as crianças maiores isto também é fundamental.

- O ouvir histórias pode estimular o desenhar, o musicar, o sair, o ficar, o pensar, o teatrar, o imaginar, o brincar, o ver o livro, o escrever, o querer ouvir de novo (a mesma história ou outras). Afinal tudo pode nascer de um texto!

- É muito importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo.

- O primeiro contato da criança com um texto é feito oralmente, através da voz da mãe, do pai ou dos avós, contando contos de fada, trechos da Bíblia, histórias inventadas, livros atuais e curtinhos, poemas sonoros e outros mais.

- Ler histórias para crianças, sempre, sempre...É poder sorrir, rir, gargalhar com as situações vividas pelas personagens, com a idéia do conto ou com o jeito de escrever de um autor e, então, poder ser um pouco cúmplice desse momento de humor, de brincadeira, de divertimento...

- É também suscitar o imaginário, é ter a curiosidade respondida em relação a tantas perguntas, é encontrar outras idéias para solucionar questões. É uma possibilidade de descobrir o mundo imenso dos conflitos, dos impasses, das soluções que todos vivemos e atravessamos. É a cada vez ir se identificando com outra personagem, e assim esclarecer melhor as próprias dificuldades ou encontrar um caminho para a resolução delas.

- Ouvir histórias é viver um momento de gostosura, de prazer, de divertimento dos melhores... É encantamento, maravilhamento, sedução...O livro da criança que ainda não lê é a história contada. E ela é (ou pode ser) ampliadora de referenciais, poetura colocada, inquietude provocada, emoção deflagrada, saudades sentidas, lembranças ressuscitadas, caminhos novos apontados, sorriso gargalhado, belezuras desfrutadas e as mil maravilhas mais que uma boa história provoca...

- Uma das atividades mais fundantes, mais significativas, mais abrangentes e suscitadoras dentre tantas outras é a que decorre do ouvir uma história. Como disse Louis Paswels: "Quando uma criança escuta, a história que se lhe conta penetra nela simplesmente, como história". Mas existe uma orelha que se conserva a significação do conto e o revela mais tarde.