Aluna de Pedagogia trabalha horta comunitária com estudantes


Postado por Estela Capra em 01/07/2016


Participar de projetos de extensão contribui para o aprendizado dos alunos. Sabendo disso, a aluna Salete Gazola, do 2º ano de Pedagogia, resolveu levar o conhecimento da sala de aula para crianças da Escola Estadual Coronel Antônio Luciano da Fonseca em Torrinha, construindo uma horta comunitária.

O projeto Horta Mãe Terra teve início em outubro de 2015, idealizado pela professora Luciana Florim. Salete iniciou o estágio na escola e se juntou a professora para dar andamento à horta. “Nosso objetivo é que os alunos possam ver o desenvolvimento das plantas em uma atividade prática, criando assim uma conscientização e sensibilização dos mesmos em relação à natureza”.

Os alunos são responsáveis por levar as sementes e mudas, plantar, regar e colher, com auxílio dos professores. O espaço foi construído com materiais reutilizáveis, como pneus para os canteiros. “Cada turma tem seu canteiro (pneu) para plantar e cuidar até a colheita. Após a colheita é destinada outra planta para a turma cuidar. Assim sucessivamente, até que todos tenham plantados todos os tipos de plantas”.

Foram plantadas ervas, temperos, legumes, hortaliças, verduras e até frutas que são colhidas e consumidas pelos alunos. Algumas mudas também foram doadas para a comunidade. Já foram colhidos tomate, tomate-cereja, quiabo e algumas ervas e temperos.

A horta é aberta aos cuidados de toda a comunidade, como funcionários da escola, pais e gestores, promovendo interação entre as pessoas. Para Salete, essa interação é importante para o desenvolvimento das crianças. “Visando uma perspectiva multi, trans e interdisciplinar, contando com a participação de todos os alunos, a fim de desenvolver conceitos, atitudes e valores sociais nos educandos”, ressalta ela.

Um pluviômetro foi instalado no espaço para medir a quantidade de chuvas na região. Com o equipamento, os professores poderão desenvolver trabalhos com o tema água e abordar disciplinas como ciências e matemática. “Todo conhecimento que os alunos adquirem na teoria eles podem colocar em prática agora com a horta, tornando a aprendizagem mais significativa”, afirma Salete.




Aluna de Pedagogia trabalha horta comunitária com estudantes


Postado por Estela Capra em 01/07/2016


Participar de projetos de extensão contribui para o aprendizado dos alunos. Sabendo disso, a aluna Salete Gazola, do 2º ano de Pedagogia, resolveu levar o conhecimento da sala de aula para crianças da Escola Estadual Coronel Antônio Luciano da Fonseca em Torrinha, construindo uma horta comunitária.

O projeto Horta Mãe Terra teve início em outubro de 2015, idealizado pela professora Luciana Florim. Salete iniciou o estágio na escola e se juntou a professora para dar andamento à horta. “Nosso objetivo é que os alunos possam ver o desenvolvimento das plantas em uma atividade prática, criando assim uma conscientização e sensibilização dos mesmos em relação à natureza”.

Os alunos são responsáveis por levar as sementes e mudas, plantar, regar e colher, com auxílio dos professores. O espaço foi construído com materiais reutilizáveis, como pneus para os canteiros. “Cada turma tem seu canteiro (pneu) para plantar e cuidar até a colheita. Após a colheita é destinada outra planta para a turma cuidar. Assim sucessivamente, até que todos tenham plantados todos os tipos de plantas”.

Foram plantadas ervas, temperos, legumes, hortaliças, verduras e até frutas que são colhidas e consumidas pelos alunos. Algumas mudas também foram doadas para a comunidade. Já foram colhidos tomate, tomate-cereja, quiabo e algumas ervas e temperos.

A horta é aberta aos cuidados de toda a comunidade, como funcionários da escola, pais e gestores, promovendo interação entre as pessoas. Para Salete, essa interação é importante para o desenvolvimento das crianças. “Visando uma perspectiva multi, trans e interdisciplinar, contando com a participação de todos os alunos, a fim de desenvolver conceitos, atitudes e valores sociais nos educandos”, ressalta ela.

Um pluviômetro foi instalado no espaço para medir a quantidade de chuvas na região. Com o equipamento, os professores poderão desenvolver trabalhos com o tema água e abordar disciplinas como ciências e matemática. “Todo conhecimento que os alunos adquirem na teoria eles podem colocar em prática agora com a horta, tornando a aprendizagem mais significativa”, afirma Salete.