Professor israelense ensina técnicas de defesa pessoal


Postado por Estela Capra em 08/06/2017


As Faculdades Integradas de Jaú sediaram, na noite de terça-feira, dia 6 de junho, a aula prática de Krav Maga com o grande mestre israelense Avi Abeceedon e o professor Emerson Januzzi. 

 

O evento começou às 20h40, no ginásio de esportes, e reuniu alunos e professores de vários cursos da instituição e membros da comunidade.

 

O mestre iniciou a atividade com instruções básicas de defesa pessoal, ensinando os alunos a se salvarem de ataques como estrangulamento e golpes de faca ou arma de fogo. Em duplas, o público pôde reproduzir os movimentos, orientados por Avi, Emerson e outros instrutores.

 

Avi veio ao Brasil para difundir a arte marcial e ensiná-la da forma correta, criada por Imi Lichtenfeld. O mestre conta que percebe que não está sendo passado os ensinamentos do Krav Maga original, e sim uma mistura de golpes de outras artes marciais. “A missão primeira é que se repeite e se faça o Krav Maga verdadeiro em todo o mundo”.

 

O Krav Maga possui também golpes de outras artes marciais e os movimentos são aperfeiçoados conforme as agressões da rua vão mudando. “A diferença básica é que nas demais artes marciais as pessoas têm que se adaptar às lutas e movimentos, e aqui não, são movimentos naturais do corpo”, ressalta o mestre.

 

Os coordenadores de Psicologia, Marcel Henrique Bertonzzin, e Direito, Luiz Henrique Herrera, participaram da atividade no ginásio. Para Marcel, que já havia praticado Krav Maga, o diferencial da técnica é que prepara a pessoa para situações do dia a dia. “Ele consegue ser bem realista, ao contrário de outras artes marciais que focam na situação de ringue. Difícil encontrar uma arte marcial hoje que seja tão com temporânea”. Luiz Herrera conta que não conhecia a arte e que praticaria mais vezes.

 

Por conter movimentos naturais e sutis, a arte pode ser praticada por pessoas de qualquer nível de condicionamento físico, de diferentes faixas etárias e com qualquer limitação física. “Toda pessoa tem que saber defender-se a si mesmo”, afirma Avi.

 

O segurança Oswaldo Bruno Jachetta afirma que na área em que atua é muito importante saber técnicas de defesa pessoal. “Alguns golpes eu já conhecia porque já havia feito outras artes marciais mas outros foram novos pra mim. É bom sempre estar atualizado para não ser pego de surpresa né.”

 

O coordenador do curso de Educação Física, Renan Turini, organizador do evento, avalia que a atividade é importante para os alunos aprenderem e interagirem com outras culturas. “Eu acho que é fundamental para os alunos entenderem como se comportar diante de uma pessoa com outras culturas e outros pensamentos. Vai além da técnica esse tipo de ensinamento. O que foi mais legal foi essa interação, o contexto cultural e educacional que envolve a atividade”, afirma ele.

 

 

Krav Maga e Krav Magen

 

O mestre Avi e o professor Emerson Januzzi explicaram também a diferença entre Krav Maga e Krav Magen. O segundo termo é utilizado para mesma técnica porém em nível mais avançado. Além disso, Krav Magen é uma marca patenteada ao contrário do termo Krav Maga. “Virou um nome genérico, qualquer um pode abrir uma academia e ensinar algo que na verdade não é a verdadeira técnica. Virou uma mistura de outras artes marcias”, afirma Emerson.

 




Professor israelense ensina técnicas de defesa pessoal


Postado por Estela Capra em 08/06/2017


As Faculdades Integradas de Jaú sediaram, na noite de terça-feira, dia 6 de junho, a aula prática de Krav Maga com o grande mestre israelense Avi Abeceedon e o professor Emerson Januzzi. 

 

O evento começou às 20h40, no ginásio de esportes, e reuniu alunos e professores de vários cursos da instituição e membros da comunidade.

 

O mestre iniciou a atividade com instruções básicas de defesa pessoal, ensinando os alunos a se salvarem de ataques como estrangulamento e golpes de faca ou arma de fogo. Em duplas, o público pôde reproduzir os movimentos, orientados por Avi, Emerson e outros instrutores.

 

Avi veio ao Brasil para difundir a arte marcial e ensiná-la da forma correta, criada por Imi Lichtenfeld. O mestre conta que percebe que não está sendo passado os ensinamentos do Krav Maga original, e sim uma mistura de golpes de outras artes marciais. “A missão primeira é que se repeite e se faça o Krav Maga verdadeiro em todo o mundo”.

 

O Krav Maga possui também golpes de outras artes marciais e os movimentos são aperfeiçoados conforme as agressões da rua vão mudando. “A diferença básica é que nas demais artes marciais as pessoas têm que se adaptar às lutas e movimentos, e aqui não, são movimentos naturais do corpo”, ressalta o mestre.

 

Os coordenadores de Psicologia, Marcel Henrique Bertonzzin, e Direito, Luiz Henrique Herrera, participaram da atividade no ginásio. Para Marcel, que já havia praticado Krav Maga, o diferencial da técnica é que prepara a pessoa para situações do dia a dia. “Ele consegue ser bem realista, ao contrário de outras artes marciais que focam na situação de ringue. Difícil encontrar uma arte marcial hoje que seja tão com temporânea”. Luiz Herrera conta que não conhecia a arte e que praticaria mais vezes.

 

Por conter movimentos naturais e sutis, a arte pode ser praticada por pessoas de qualquer nível de condicionamento físico, de diferentes faixas etárias e com qualquer limitação física. “Toda pessoa tem que saber defender-se a si mesmo”, afirma Avi.

 

O segurança Oswaldo Bruno Jachetta afirma que na área em que atua é muito importante saber técnicas de defesa pessoal. “Alguns golpes eu já conhecia porque já havia feito outras artes marciais mas outros foram novos pra mim. É bom sempre estar atualizado para não ser pego de surpresa né.”

 

O coordenador do curso de Educação Física, Renan Turini, organizador do evento, avalia que a atividade é importante para os alunos aprenderem e interagirem com outras culturas. “Eu acho que é fundamental para os alunos entenderem como se comportar diante de uma pessoa com outras culturas e outros pensamentos. Vai além da técnica esse tipo de ensinamento. O que foi mais legal foi essa interação, o contexto cultural e educacional que envolve a atividade”, afirma ele.

 

 

Krav Maga e Krav Magen

 

O mestre Avi e o professor Emerson Januzzi explicaram também a diferença entre Krav Maga e Krav Magen. O segundo termo é utilizado para mesma técnica porém em nível mais avançado. Além disso, Krav Magen é uma marca patenteada ao contrário do termo Krav Maga. “Virou um nome genérico, qualquer um pode abrir uma academia e ensinar algo que na verdade não é a verdadeira técnica. Virou uma mistura de outras artes marcias”, afirma Emerson.