Já está vacinado contra a caxumba?


Postado por Estela Capra em 28/03/2017


Nos últimos meses, a cidade de Jaú enfrenta um surto de caxumba. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, só neste ano foram registrados 80 casos da doença e sete focos com maior número de pessoas infectadas. Devido à alta circulação de pessoas, a Fundação registrou casos.

A caxumba é uma doença infecciosa e contagiosa e tem como principal característica o inchaço na região abaixo da mandíbula. Segundo a professora do curso de Enfermagem Pérola Cruz, o contágio é feito pelo contato direto, como gotas de saliva liberadas ao falar ou tossir, entre o doente e o indivíduo não imunizado pela vacina.

A rede básica de saúde disponibiliza gratuitamente a vacina, que faz parte do calendário das crianças de 12 a 15 meses de idade. Para adultos, é recomendado que, pelo menos, uma dose esteja registrada na carteira de vacinação.

“Normalmente, a vacinação não traz prejuízos à saúde, sendo mais comum apenas calor e dor no local da aplicação da vacina, podendo ocorrer febre no dia ou no dia subsequente à vacinação. É uma vacina com excelente potencial de proteção, e a proteção decorrente dura quase toda a vida”, conta a professora.

Pérola completa ressaltando que, embora seja considerada um vacina segura, não é recomendada a aplicação em pessoas com imunidade baixa, decorrentes de infecção por HIV ou que estejam realizando tratamentos oncológicos, por exemplo.

“As complicações decorrentes da infecção por caxumba que podem ocorrer são: meningite viral – o vírus pode penetrar as meninges, causando inflamação, e nos homens, pode ocorrer inflamação dos testículos – orquite – que se não tratada adequadamente, pode levar à infertilidade”, afirma ela.

Se você ainda não se protegeu, procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa para receber a vacina. Confira abaixo a tabela com os dias de imunização em cada posto de Jaú.




Já está vacinado contra a caxumba?


Postado por Estela Capra em 28/03/2017


Nos últimos meses, a cidade de Jaú enfrenta um surto de caxumba. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, só neste ano foram registrados 80 casos da doença e sete focos com maior número de pessoas infectadas. Devido à alta circulação de pessoas, a Fundação registrou casos.

A caxumba é uma doença infecciosa e contagiosa e tem como principal característica o inchaço na região abaixo da mandíbula. Segundo a professora do curso de Enfermagem Pérola Cruz, o contágio é feito pelo contato direto, como gotas de saliva liberadas ao falar ou tossir, entre o doente e o indivíduo não imunizado pela vacina.

A rede básica de saúde disponibiliza gratuitamente a vacina, que faz parte do calendário das crianças de 12 a 15 meses de idade. Para adultos, é recomendado que, pelo menos, uma dose esteja registrada na carteira de vacinação.

“Normalmente, a vacinação não traz prejuízos à saúde, sendo mais comum apenas calor e dor no local da aplicação da vacina, podendo ocorrer febre no dia ou no dia subsequente à vacinação. É uma vacina com excelente potencial de proteção, e a proteção decorrente dura quase toda a vida”, conta a professora.

Pérola completa ressaltando que, embora seja considerada um vacina segura, não é recomendada a aplicação em pessoas com imunidade baixa, decorrentes de infecção por HIV ou que estejam realizando tratamentos oncológicos, por exemplo.

“As complicações decorrentes da infecção por caxumba que podem ocorrer são: meningite viral – o vírus pode penetrar as meninges, causando inflamação, e nos homens, pode ocorrer inflamação dos testículos – orquite – que se não tratada adequadamente, pode levar à infertilidade”, afirma ela.

Se você ainda não se protegeu, procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa para receber a vacina. Confira abaixo a tabela com os dias de imunização em cada posto de Jaú.